O potencial da transformação digital nas organizações | Marcela Botteri

 

Temos ouvido falar bastante nos últimos anos sobre inovação, transformação digital e, mais recentemente, sobre o tema do momento, inteligência artificial. Como sempre, qualquer novidade gera insegurança nos profissionais, medo de perder o emprego, de não se ajustar às novas tendências e receio do novo.

A minha experiência atuando um ano diretamente na área de transformação digital em uma grande companhia de saúde e, quatro anos como gerente de sucesso do cliente, sendo responsável por contas de grandes corporações, me traz um olhar muito otimista sobre essas mudanças.

Temos um potencial grande a ser explorado, muito aprendizado a adquirir, inúmeras soluções para conhecer e aplicar e assim, aumentar a participação no mercado, os lucros e gerar mais negócios.

A tecnologia possibilita colocarmos ideias em prática, capacitar pessoas para pensarem além do comum, trazer novas oportunidades de trabalho e de execução do que já está tão presente no nosso dia a dia. São as ferramentas para ampliar produtividade, selecionar, contratar, capacitar e engajar funcionários, além de qualificar e fidelizar vendas, entre outras. Cito alguns exemplos de uso de Inteligência Artificial em larga escalas nas empresas: chatbots para agilizar o suporte a clientes, softwares de gestão de pessoas, além de ferramentas de gestão de produtos, de projetos, entre tantas outras para melhorar o desempenho do negócio e do nosso trabalho.

Falta de clareza nos objetivos

Mas há necessidades de ajustes na gestão dos processos. Uma das dificuldades que eu vejo claramente hoje é em relação à definição dos objetivos. Grandes empresas precisam ter muita clareza dos seus objetivos estratégicos e toda a organização precisa seguir caminhos com base neles. O que impacta na necessidade de se promover uma Cultura Organização coesa. Vejo muitas áreas de negócios seguindo direções que parecem certas, porém, tempo depois, com projetos em andamento, percebem que não há alinhamento com a estratégia, e esta é uma das maiores causas de morte de projetos de inovação.

Além disso, preparar e capacitar os colaboradores é algo de extrema relevância. Todas as pessoas precisam conhecer as metas da sua área, da empresa e então, buscar seu desenvolvimento de acordo com o que podem aprender e entregar para alcançarem resultados que façam diferença para sua carreira e a organização onde trabalha.

É uma certeza que a IA veio para mudar, transformar, criar novos modelos de negócio e de empregabilidade.

Suas aplicações expandem enormes possibilidades. Estimula novas formas de pensar e novos modelos de trabalho e, assim como em todas as épocas de grandes transformações, há sempre as pessoas e empresas que se antecipam, enxergam como algo positivo, que surfam a onda e se preparam, e há aqueles que focam mais nas dúvidas e se paralisam, enquanto as novas tendências vêm com tudo.

 

marcela

Marcela Botteri  é apaixonada pela vida, livros e esportes. Mora em Barra de São João no interior do RJ, bem pertinho da natureza e da sua família. É formada em Administração (UFF) com MBA em Gestão de Pessoas (FGV) e pós-graduação em Inovação (UFF). Atua no mercado há 12 anos, seis deles em empresas de Petróleo e Gás e nos seis últimos anos, em inovação, startups e grandes corporações. Ama aprender, ler, escrever e conhecer pessoas. É autora na EA plataforma que integra uma comunidade do Futuro do Trabalho.

https://www.linkedin.com/in/marcelabotteri/

 

Fale com o editor: 

eamagazine@eamagazine.com.br